Última hora: O Cidadão identificado como "Indivíduo A" das dívidas ocultas está a ser ouvido neste momento no tribunal


Acaba de iniciar a audição de António do Rosário, o famoso Indivíduo A, detido na última quinta-feira por envolvimento na contratação dos empréstimos ilegais para as empresas ProIndicus, Ematum e MAM. António do Rosário é o primeiro arguido presente ao juiz de instrução que vai decretar a medida de coação.




O advogado do antigo director Nacional da Inteligência Económica do SISE, a secreta moçambicana, é Alexandre Chivale, um jurista muito próximo à família Guebuza. Aliás, Alexandre Chivale foi assistente no julgamento do assassinato da filha do antigo Presidente da República.
As audições decorrem no Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, onde está um número significativo de jornalistas e familiares dos detidos.




Os arguidos entraram no tribunal via Palácio da Justiça, na avenida 25 de Setembro, e conseguiram escapar à imprensa que está concentrada defronte do tribunal.
O jornal O País não conseguiu apurar se todos os oito detidos já estão no Tribunal.
TJCM legaliza prisão dos oito arguidos do “caso das dívidas ocultas”
09h27:Será legalizada, este sábado, no Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, a prisão dos oito arguidos do caso das dívidas ocultas. Os familiares e amigos dos arguidos estão já presentes no TJCM, sendo que se aguarda a chegada dos arguidos.




Carlos de Rosário foi director dos Serviços de Segurança do Estado (SISE) que controlava as empresa EMATUM e Proindicus e quer receberam os empréstimos de milhões dede dólares mas que declararam falência.




Aquando uma investigação levada a cabo pela companhia de auditoria Kroll Caros de Rosário recusou-se a fornecer informações alegando razões ligadas à segurança do Estado.




Teófilo Nhangumele é tido como especialistas em relações públicas e governamentais e trabalhou para a companhia petrolífera BP tendo visto o seu nome ligado a uma companhia que esteve envolvida no negócio dos empréstimos.





No documento de acusação da Procuradoria de Nova Iorque, são mencionados também outros três moçambicanos que terão sido subornados com milhões de dólares mas que por razões desconhecidas não foram indiciados.




O “co-conspirador 1” é identificado como sendo “um indivíduo ... que esteve envolvido na obtenção da aprovação do Governo do projecto Proindicus”; o “co- conspirador 2” é “um familiar de um funcionário sénior de Moçambique”; e o “co-conspirador 3” era “um funcionário sénior do Ministério das Finanças de Moçambique e um director da Ematum”.




O CIP disse que neste último caso “suspeitamos que seja Henrique Gamito ou Isaltina Lucas Sales”.




“Os dois desempenharam funções de relevo tanto na EMATUM como no Ministério do Plano e Finanças”, disse o CIP.




Recorde-se que o antigo ministro das Finanças, Manuel Chang, volta ser ouvido nesta quarta-feira, 9, por um tribunal na África do Sul, onde um juiz irá decidir sobre a sua extradição para os Estados Unidos.

Opais/voa
Última hora: O Cidadão identificado como "Indivíduo A" das dívidas ocultas está a ser ouvido neste momento no tribunal Última hora: O Cidadão identificado como "Indivíduo A" das dívidas ocultas está a ser ouvido neste momento no tribunal Reviewed by Z on fevereiro 16, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário