Aquelas pessoas chave no calote querem manter seus subornos e fazer que os moçambicanos paguem a dívida secreta segundo Hanlon


O Centro de Integridade Pública (CIP) promoveu no passado dia 14 uma conferência sobre a criação de uma entidade para lidar com a a identificação e recuperação de activos obtidos de forma ilícita pelos participantes do calote da dividas ocultas.





Um dos dos convidados de destaque para a conferencia foi o advogado especialista da Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção e antigo assessor do Senado americano para a extradição e recuperação de activos. Rick Messick, 





Esteve também na conferencia o conceituado jornalista Joseph Hanlon que observou que "As pessoas chave no calote querem manter seus subornos e fazer que os moçambicanos paguem a dívida secreta de $2 biliões. Se usada de forma correcta, a recuperação de activos e reparação de danos pode ajudar a obter tanto informação essencial sobre a dívida."

A criação de uma entidade para a identificação e recuperação de activos, foi defendida também pelo bastonário da Ordem dos Advogados de Moçambique, Flávio Menete, durante a conferência.




para Menete "A prisão, para além de ser uma sanção em crise, por não cumprir de forma efectiva a finalidade para que foi concebida e de representar um custo bastante elevado para o Estado (contribuintes), desacompanhada da perda de bens transmite a ideia de que o crime compensa. É urgente a criação de uma Unidade de Recuperação de Activos em Moçambique."



Aquelas pessoas chave no calote querem manter seus subornos e fazer que os moçambicanos paguem a dívida secreta segundo Hanlon Aquelas pessoas chave no calote querem manter seus subornos e fazer que os moçambicanos paguem a dívida secreta  segundo Hanlon Reviewed by Z on maio 15, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário